31 de mar de 2011

Neste prato vazio
A mão estendida
As intuições
Com precisão
Do prato se serviu
Da mão se apoiou
A lamina de situações
A ferrugem
Ingratidão


Camila Karina

30 de mar de 2011

Os velhos emblemas
se dissolvem 
Quando os olhos
ultrapassam
a visão de sempre
Mas os velhos
desejos
Se renovam
Perpassam 
Na mesma corrente 

Camila Karina

29 de mar de 2011

Por via
das dúvidas
Ultrapasso
a travessia


Todavia
pra disfarçar 
ainda resta
uma ironia


Quem diria
que pra quem chora
o melhor conselho é
"Sorria!" 




Camila Karina 
Este meu imaginário
que me conforta
que me incomoda
e me leva para realidades
Indefinidas
Assistidas
Sentidas
Intuitivas
Afins
Em cada sonho
Um momento
Condiz

Camila Karina

Na observância
Arrogância
Petulância
Ah! Que ânsia! 




Camila Karina 

28 de mar de 2011

Os egos são feitos de nós. Nós como um eco. Nós de pessoas. Nós de entrelaçamento de interesses. Nós apertados porque não há espaço para tantos egos inflados.
Dentro deste espaço também é preciso disciplina. Até mesmo os egos precisam de bom senso. Muito longe disso, atrapalham a cadeia alimentar. Devoram-se
Egos
Nós
e a fome
Entre si.

Camila Karina

27 de mar de 2011

E foi assim que percebi
quantas vezes me parti
por realmente sentir
tudo que a vida
pode garantir
E é assim 
que vou seguir


Camila Karina
Por um tempo
teu sorriso
era a minha luz
Tua partida?
Minha cruz




Camila Karina

26 de mar de 2011

Não existe
disfarce
que impeça
de refletir
o que está
por dentro
intenso
de tanto
sentir


Camila Karina

25 de mar de 2011

Não vejo sentido
em regras impostas
Para quem busca respostas
Do coração
Não existem regras
Para saber
Quem abrirá as portas


Camila Karina

24 de mar de 2011

Um obrigada
Uma nota
Pela verdade
Lealdade
Sinceridade
Falsidade?
Tudo pode ser interpretado
decodificado
Mas aqui
Não se trata de amizade

Camila Karina

23 de mar de 2011

Com esta raiva
contida
Que ninguém esteja
na mira
Se você
estiver
Não impeço
que se fira


Camila Karina
Quão tensos meus ombros
Intensos meus sonhos
Se tiro o peso
Meus pés saem do chão
Mas não deixo de segurar
em suas mãos

Camila Karina

21 de mar de 2011

Se os sentimentos fossem plásticos eles levariam anos para deteriorar mesmo que fossem jogados no lixo debaixo da terra. Mas sentimentos são plantas, seres vivos. E cada espécie tem um  modo diferente de sobreviver. Morrem, renascem, se transformam. A unica coisa em comum  é a maneira de cuidar. Atenção.
Tem planta dentro do saco plástico. Sem oxigênio. Morrendo. Tem planta no jardim, regada e crescendo.

Camila Karina
Meu descanso
cansou
Depois do sono
só quer amor




Camila Karina

19 de mar de 2011

O que fazer com
 esta insistência
da inexistência
e permanência
do vazio?
Qual será a pendência
resistência 
e referencia
Do que já partiu?

Camila Karina

18 de mar de 2011

Aos desesperançosos
Aos despedaçados
Um punhado de fé
Para que o coração apertado
Seja renovado
E saia da marcha ré


Camila Karina

17 de mar de 2011

São nestes espaços de tempo
que cada sentimento é colhido
é plantado e arrancado
Nada mais do que a lida diária
De ser e viver
Sempre é grande safra
Sempre é tempo de colheita
Por mais que seja na seca


Camila Karina

16 de mar de 2011

Me calo
E sou presenteada pelo silêncio
Com serenidade
Para uma nova realidade

Camila Karina




15 de mar de 2011

Se me faço clara
À noite é que
você tenta decifrar
Me fogem datas e números de
quantas voltas
até este ciclo
se equilibrar


Camila Karina

14 de mar de 2011

Com essa tempestade
que traz vários mundos abaixo
Se esvai e deixa tudo revirado
O olhar assustado diante
de tanta confusão
Discretamente
E nem se percebe
que tudo acontece
cumprindo uma missão

Camila Karina

11 de mar de 2011

Ah vida,
Esculpida
sorriso a sorriso
lágrima a lágrima
Uma obra-prima indefinida
De nossa imagem
e semelhança

Camila Karina

9 de mar de 2011

A cada pouso 
do meu olhar
uma nova percepção
Eis que algo
reflete além 
da retina
Mas isso não me basta
Voraz é meu coração


Camila Karina

8 de mar de 2011

O meu pensar
faz diferença
nessa atmosfera
que converge
em você aqui
ao meu lado
Estou no aguardo

Camila Karina

7 de mar de 2011

A ansiedade por 
muitas vezes
é a erva daninha
do jardim dos anseios
Atrapalha os planos
os desfechos
Arranco uma a uma
com cuidado
Para que o destino cresça
Tenha espaço

Camila Karina

6 de mar de 2011

Se as palavras tem poder
Unidas ao pensamento
Cada vez você está 
mais perto
E o que está
guardado em mim
vai acontecer

Camila Karina

5 de mar de 2011

Se a dificuldade compensa
Vou ganhar um tesouro!


Camila Karina

2 de mar de 2011

As vezes nos acostumamos tanto com o pessimismo
que o óbvio, o simples, acaba virando um mistério
Um "nunca imaginei"

Camila Karina 
O que há com o ser humano
que agora só vive na reserva?
Um pouco mais de doce
Um pouco mais de entrega!

Camila Karina
Diante das dificuldades
surgem as habilidades
escondidas
Um mistério particular
De aprender a lidar
Com o mal
Com o bem
que a vida pode proporcionar




Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.