31 de jul de 2010

Quero fazer diferente
Com os erros
que aprendo 
todos os dias
Não tem erro

Camila Karina

Águas
Águas
Águas
Mar
Com algas
Mais
Algo
Mar
De Mágoa
Desagua
Feito
Lágrimas
Correndo
Pelo mar
 Também
É amar?

Camila Karina

30 de jul de 2010


Luz
Cidade
Por muitos caminhos
As vezes despercebida
Reluzente
Ela surge
Em muitas oportunidades
Todos sabem seu nome
Felicidade

Camila Karina

29 de jul de 2010

A consciência é seu melhor juiz?
O mentor que nos põe no eixo?
Nem sempre deixo
Onde está a coerência?
Nem sempre é preciso resposta
Eis minha reticência

Camila Karina

28 de jul de 2010


Não ouse
Usar
A sentença
De apenas
Um dos lados
Da moeda
Ou
se
Usar
As recompensas

Verás
Valem a pena
As ousadias
Que tornam
A Vida
Plena

Camila Karina

27 de jul de 2010


Que ironia
Este pedido
Para fechar os olhos
Se despedir por um momento
Das imagens
Do som
Do movimento
Apenas por uma pequena viagem


Grande ironia
Este desejo
De fechar os olhos
Quando aconselham
Para mante-los bem abertos
Sempre atentos
Sempre alerta

Esqueça os avisos
Por alguns minutos
Espere até sentir
Os cílios
Completamente
Juntos
Nesta breve travessia
De uma alma à outra
Abro os olhos
Estou agradecida

Camila Karina

26 de jul de 2010

Por vezes aflitos
Todos temos
Conflitos
Por vezes distantes
Somos todos
Inconstantes
Por vezes ferventes
Ninguém abranda
O sangue quente
Por vezes
Mais calmos
O sentimento
Está salvo

Camila Karina

24 de jul de 2010

Enquanto caminhas até a porta
Não acho saída
Não encontro estes fios invisíveis
Que prendem meu coração
Dominam minha emoção
Estar longe
Fica fora de questão

Enquanto caminhas até a porta
Abro um sorriso
Te deixo entrar
Me abraçar
Cantar a nossa canção
Estar perto
Me faz perder a noção

Camila Karina

20 de jul de 2010

Estas palavras
Ficariam guardadas
Adormeceriam no leito
De minha mente
Estas palavras
De idéias cortadas
Mudariam o pleito
Do meu sangue fervente
Guardo todas no silêncio
Equilibro os pesos
O que desequilibra?
As
In
Com
Pré
Ações

Camila Karina
Me encantei com este mundo
 Um intenso mundo
Que entrei sem pedir
Sem saber os porquês
Estou aqui, quero ficar
Estar a par
 De tudo
Até da dor
Amargar
Degustar
Agridoce sabor
Sentir 
Sorrir
Não me tirem daqui

Camila Karina

18 de jul de 2010

O dividir
À dois
Por dois
Em dois
Noutro segundo
Os dois
Se esquecem
Dividem
As partes

Em dois
Cada um
Para um lado
Secundário
Segundo plano
Em seguida
Reparam o dano
Se esquecem

Reúnem
As partes
Cada um
Do mesmo lado
Revivem
Sorriem
Depois

Camila Karina

16 de jul de 2010

Deparo-me
Frente a frente
Contigo
Ego
Infimo
Nesta convivência diária
Do querer
Não poder
Desejar
Retroceder
Das tempestades
Às bonanças
Deparo-me
Frente a frente
Imagem
E semelhança
Do eu

Camila Karina

15 de jul de 2010

O silêncio impera
Diante do fato
Das várias
Pequenas
Causas
Danos
Me recomponho
Esqueço tudo
Cândida
Extrema
Pausa
Vamos!


Camila Karina

14 de jul de 2010

Quantos cortes
Para uma linha?
Quando a sorte
Muda a sina ?
Quantas linhas
Há num pensamento?
Quantas vezes eles
Perdem
Desviam
Invadem
A verdadeira intenção?

Camila Karina

13 de jul de 2010

Mil idéias
Mil fatos
Mil episódios
Milhões de acontecimentos
Passam por mim
Não me deixam dormir
Espero
Por ti

Camila Karina

11 de jul de 2010

Sinto
Amar é simples
O que não parece simples
É lidar com outro mundo
Vou pro seu 
Entre no meu
Equilibramos nossa atmosfera
Damos voltas eternas
De afinidades
Cumplicidades
Individualidades
Entre o meu e o seu
Mundos


Camila Karina

10 de jul de 2010

Estes pingos
Notas dançantes
A melodia ritmada
Estacato
Pianissimo
Forte
Estes pingos
Trazem festa
Pelas arestas
Percorrem os caminhos que querem
Caia em mim
Chuva
 
Camila Karina

9 de jul de 2010

Infeliz de quem pensa
Que a rotina tem de ser
Marcada a ferro e fogo
Não se engane
Rotina mesmo
É perder o fôlego

 Camila Karina

8 de jul de 2010

Beijas o ar livre
Entre os dias
Rasteiros sem nossos encontros
No devaneio que me perco
Ao pensar em ti por inteiro
Revelo falhas
Descubro a fragilidade
O motivo, a saudade

Camila Karina

7 de jul de 2010

Pelo sim
Pelo não
Dos apelos à redenção
Pelo sim
Pelo não
Nossos medos
Uma prisão
É fugir
Ou enfrentar
Sua decisão



Camila Karina

6 de jul de 2010

Vire               Volve
Transpire      Exale
Nos altos       Nos baixos
Da emoção 

Se perca       Se ache
Nos quebra-cabeças
Nos encaixes imperfeitos
Encontre sua peça
Na construção da obra
Que nunca cessa

Camila Karina

5 de jul de 2010

Do meu tempo
Na maior parte
Metade
Sem cortes
Retoques
Retalhos
Se toque
Sem atalhos 

Nem prazo 
De vencimento
É todo seu
Meu pensamento

Camila Karina

4 de jul de 2010

Ao primeiro piscar de olhos
Nas chegadas
Das manhãs
Das noites
Os dias nunca são brancos
Os labirintos desaprecem
Na simetria do sentir e pensar
As vontades e desejos convergem
Para apenas um desígnio
Te encontrar

Camila Karina

2 de jul de 2010

A cada pensamento
Que é teu
Nas tuas ausências
Te materializo
Te torno vivo
Presente
No caminhar
No meu olhar
Em qualquer lugar
A cada lembrança
Que é nossa
Destas ausências
Nos torno eternos
Um  tesouro precioso
Com  qualquer saudade
Em qualquer cidade
Em qualquer lugar
Na simplicidade
De recordar

Camila Karina

1 de jul de 2010

Infira
Me fira
Sorria
Com suas garras
Invisíveis
Anônimas
Sensíveis
Que ferem
Interferem
Nas etapas
Com farpas
Cravadas
Festim
De lágrimas
Sorria

Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.