29 de dez de 2012

A vida
é uma caixa chinesa
de onde brota a manhã (...)
Entre flores de urânio
é permitido sonhar.

Affonso Romano de Sant'Anna


*Aos meus cúmplices na poesia, desejo só boas energias, desejo até mesmo para quem só acessa este canto para outros fins. 
 

21 de dez de 2012

De todas as palavras que não bastam
e todos os gestos que são esquecidos
a memória aquece as lembranças
que queimam os olhos, ouvidos e esperança
Qual o mistério de manter a chama?

Camila Karina

Pede-me respostas
Coração
E nada tenho a dizer
Apenas silêncio
Coração
Aperta-te contra meu peito
Coração
E o que posso fazer por ti
é segurar-te em minhas mãos 
Coração
que tem um nome
sem precisão
Porque dói tanto
Coração?

Camila Karina

20 de dez de 2012

Atenção 
Atenção
Terá um destino de tensão?
Atenção
Atenção
Será sinonimo de pressão?
Atenção
Atenção
Ao que se recebe
e ao que oferece
Atenção
Atenção
Ninguém sabe o ponto em questão
Então os poros perguntam :
- Haverá solução?

Camila Karina

11 de dez de 2012




Declare-se livre
e reconheça a condição de ser sozinho
para enfrentar os malefícios
e não depender de um herói
Guie-se por suas próprias pernas
Mesmo ao lado de todo o pelotão
você continua na guerra

Camila Karina

8 de dez de 2012

O mundo nunca estará em silêncio 
Um coração nunca estará em silêncio
Nossas mentes nunca estarão em silêncio
As revoluções só aconteceram por causa de muitos barulhos
Mas o silêncio sempre será respeitado

Camila Karina

2 de dez de 2012

Temei a natureza
daquele animal que nasceu puro
e de tantos vícios, vivências, 
também criou seu lado mais obscuro
A natureza daquele animal
que nasceu para ser sozinho, descrente e
sem rumo

Camila Karina

25 de nov de 2012

Do canto
a voz
que acalma
Do canto
o lugar pequeno
que guarda o que mais importa
Do canto
o amor é tanto
que o simples
basta

Camila Karina

19 de nov de 2012

Passando por várias portas, várias janelas, várias escadas, várias frestas. Usando muitas chaves e com muito amor chegamos em casa, via coração. 


Camila Karina
O que é raro não se pode tatear
Toma conta do corpo e da alma
Temos mais é que celebrar

Camila Karina

17 de nov de 2012

Dou-me atenção
Acuso-me pela ingenuidade
Entrego-me verdades
e desacredito no que falo-me
porque já não compreendo-me 
Devolvo-me esperanças
 e aponto-me 
o que não poderá salvar-me 
Meu herói é meu discernimento
Minha calma é auto-conhecimento
Meu equilibrio é o desprendimento


Camila Karina

10 de nov de 2012

Neste vão de ideias e sensações é que me perco
Só a esperança me tira do escuro





Manter a confiança é trabalho duro







Acreditar no que se vê
é corriqueiro
A missão é acreditar
em quem está diante do espelho


O que fere o ser humano além das armas
são palavras
Das contradições e atos
o que fere é o sentimento

Camila Karina

6 de nov de 2012

Ritos
Mitos
Ditos
Todos nós precisamo de algo para acreditar
Por isso
Cito
Mas tudo isso
é intro

Camila Karina

28 de out de 2012

Foi Platão que me deu a primeira chave. Uma chave para qual eu não sabia que porta abriria, mas tinha uma chave. Levou-se tempo, levaram-se grandes imaginações, idealizações, até abrir a porta. Uma porta para a realidade que Platão não poderia dominar, nem mesmo eu. Aliás, ninguém é capaz de dominar a realidade, apenas dominamos nosso próprio ser, por apenas um segundo, o resto dele é regido pelo tempo. 

Deu-se flores, deu-se todos os olhares e um coração batendo. Tudo deu-se e tudo foi recolhido. Tudo foi bem recebido e largado de lado. Deixado guardado como um livro com uma bela capa que até hoje está dentro da gaveta. Aquele livro que pretendemos ler, mas nunca nos sobra tempo e entusiasmo. Das flores nunca esperou-se moldes, esperou-se perfume. Dos olhares nunca esperou-se prisão, esperou-se zelo. Do coração batendo nunca esperou-se tanto, mas também nunca esperou-se menos, que não fosse acelerado. 

E Platão nunca avisaria sobre qual porta a chave abriria. Somos nossos próprios heróis e vilões. E Platão sempre soube.

Camila Karina

26 de out de 2012




Agrada-me e não dá-me verdades
Afasta-me e deixas saudades
Ignora-me e gasto vontades
 A primavera mudou

Camila Karina
Foi preciso apenas dar-te a idéia de navegar
que jogaste ao mar todas as vontades 
Içada à lembranças, me recomponho
Para aliviar as grandes dores da mente e coração

Camila Karina
Entendiada de mim mesma
Busco refúgio em novas versões
Esperanças e visões
O que encontro são disfarces 
daquilo que não esqueci
Daquilo que me feriu
apenas porque permiti
Minha busca agora é por mim mesma 
e minha própria cura 

Camila Karina 

25 de out de 2012

Oh these little rejections how they add up quickly

One small sideways look and I feel so ungood (...)

Oh these little rejections how they seem so real to me

How these little abandonments seem to sting so easily

I'm 13 again am I 13 for good?

I can feel so unsexy for someone so beautiful

So unloved for someone so fine

I can feel so boring for someone so interesting

So ignorant for someone of sound mind (...)

I jump my ship as I take it personally

Oh these little rejections how they disappear quickly

The moment I decide not to abandon me
.

24 de out de 2012

Visito o sol para iluminar-me
e acabo levando como lembrança,
a queimadura da luz.
A luz que clareia e fere
mas permeia o horizonte 

Camila Karina

23 de out de 2012

Garçon! Entusiamo na mesa 4 ! 

Camila Karina
Pétala a pétala do desejo
Quando será a primavera novamente?


Camila Karina

21 de out de 2012

As nuvens das dúvidas quando não iluminadas pelo sol  levam tudo pela frente. O que fere ensina a defesa. O vazio não passa em branco. Não estaremos livres de escudos mas podemos ficar livres de ser rudes. A inocência ainda prevalece pelo bem do que acredito e o amor ainda está em tudo, mas os olhos insistem na verdade superficial que está no primeiro plano. Como ser merecedor?

Camila Karina


Meu coração está pedindo para ouvir e ver mais para 
 descobrir estes caminhos 
que não deixam pista 
mas que abrem-se a perder de vista

Camila Karina
Dizeres
Quereres
O fazer é o que mais me anima
Por onde andam os fazeres?

Camila Karina
Quantos brilhos nos olhos
equivalem às noites solitárias
mesmo com um lado aquecido?

Camila Karina
De tantas palavras 
que chegam aos meus ouvidos
estão quase zeradas as atitudes
que norteam meus sentidos

Camila Karina

17 de out de 2012


O corpo quente anuncia
a fragilidade vigente





 Tudo penso
Tudo peso
O que o destino tem 
em mente?


 As medidas da emoção
não cabem num momento
As palavras em questão
não acalmam o coração



Camila Karina



Deixar o ódio explícito é fácil
Quero ver falar de amor...

Camila Karina

16 de out de 2012






Naquela jardim que cresciam as flores
fora esquecida a erva daninha
que foi crescendo e tomando conta
de tudo pela frente
O seu futuro não poderá
ser diferente
Nada se sabe
sobre o que se sente


Camila Karina

15 de out de 2012

Não importa o que aconteça
Mesmo que seja de ponta cabeça
A lágrima  faz com que a queimadura do coração arrefeça 

Camila Karina

13 de out de 2012

Felicidade de algodão...
Ah vento forte! 


Camila Karina
Tragam um caminhão de flores até mim
e perguntarei à quem endereçar

Camila Karina




*Tempos difíceis de acreditar..
Aquela tinta com seu frescor
a cor vibrante 
da fina rosa
que com o tempo desbota
Deixa a vaga lembrança
daquela rosa
Há primavera para as tintas?

Camila Karina
Nesta dança sou a bailarina
Aquela que quase sempre
dança sozinha

Camila Karina

10 de out de 2012

As veias, os pulsos, os eletros perguntam se mereço o inicio. Aquele inicio raro, aquele inicio de todos. O inicio que é feito no seu tempo. O ponto de partida que integra, que envolve, que comove, torna intríseco o movimento e toda a história. As teias, avulsos e arquétipos tiram o sossego da caminhada que já foi dada a largada e à mim soa mais como corrida. Quero caminhar sem ter sossego, quero mais o aconchego no meio da diversão e quem sabe uma canção de ninar. Mas o velho dito é sábio, tudo no seu tempo hábil.

Camila Karina
Atire a primeira pedra mas fique ciente que haverá uma queda. Atire-a. Apanhe-a. Guarde-a. Depois das consequencias, das perdas e lamentos. Espere algum momento, experimente um sentimento. Faça uma declaração de amor. Sorria e gargalhe sem nenhum temor. Deixe quieta a solidão, que quando necessário, ela cumpre sua missão. 

Camila Karina


1 de out de 2012

Do mel ao fel
do fel ao mel
e nesta ciranda
há controvérsias
mas há quem sinta
que é um pedaço do céu

Camila Karina

25 de set de 2012

O que você torna sagrado
está condenado 
a ser lembrado
não pela santidade
 mas pela hostilidade
Um sacro pântano

Camila Karina
Acaricía, aquece, exalta, acende, acalma. Pisa, contorce, distorce, queima, fere. É a roda viva do coração partido



Camila Karina
A duras penas é aprendido o que se deve dar peso ou leveza
 Sou péssima em equilíbrio

Camila Karina

24 de set de 2012

 A ponto de explodir em mil pedaços de vidros verbais
Desses que cortam profundamente e deixam cicatrizes

Camila Karina
De que vale tanta sede se bebemos com desespero
até nos afogar?

Camila Karina
Calo
Consinto
porque sinto
um espaço
largo
entre a palavra 
e o fato
O que mais vou merecer?

Camila Karina

23 de set de 2012

Somos nós que fazemos os dias serem especiais? Porque dar este poder ao outro? Se nós podemos escolher dias e momentos especiais, poderá ser declarado também aquele momento não especial. Especialmente ferido.

Camila Karina
A diplomacia polida, que agora é sagrada
Torna minha raiva sagrada
Os baixos tons para a discrição, que agora são sagrados
Tornam minha raiva sagrada
Os disfarces, as falas formais, que agora são sagradas
Tornam minha raiva sagrada
Sacramentada pela percepção
Se minha presença invísel é profana
que minha raiva sagrada tenha voz e chama

Camila Karina

14 de set de 2012

Pelo sim
Pelo não
Sempre temos alguma luta
Mas o fim da estrada é puro deleite
de toda jornada

Camila karina

11 de set de 2012

Tudo e mais
o quanto puder
seja lá o que for
com toda essa ternura
que me inunda de tantos
você,
Agradeço.

Camila Karina

10 de set de 2012

Somos linhas. Todos compostos por linhas que se cruzam, que dão nó, que cortam, que se prendem. Linhas de força, linhas de separação, linhas de segurança, linhas paralelas. Essas mesmas linhas estão no mesmo sentido, aquele não previsto. Ninguém se mantém  na linha ou quando mantém, a linha muda o curso. E que cria um laço e forma o que é belo e real, sem curso, só pulso.

Camila Karina

8 de set de 2012

Tropas em retirada. Posição de defesa. Olhares atentos ao redor. Todo o zelo tem seu preço. Escudos em baixa, é tiro no peito, direto para o pulmão, causando travas na respiração. Os olhos que ardem são minas de lágrimas. Estas não servem para implosão. Todo zelo tem seu fardo, mais um passo à procura da compreensão.

Camila Karina

5 de set de 2012

Era tudo tão distante
Agora é tudo tão real
Tudo é detalhe
Nada é banal
Como um olhar profundo
Sorrir é natural

Camila Karina
Desconsidero as horas passadas, mas não o tempo vivenciado. O fluxo de ideias, considerações e variáveis convergem para algum filtro da emoção. E quanto mais o tempo passa, observo o ir e vir da sinceridade, que tem seu próprio rumo e missão. 

Camila Karina

4 de set de 2012

O fato está adiante. O acaso está no instante. Se tempo é capaz de ser o juíz de conhecer um ao outro, o que fazer com as sensações, sentidos e intuições? A imaginação não tem limites diante dos desejos, ainda mais, diante dos ímpetos de raiva. A ingenuidade da esperança na crença de conhecer o outro, nos leva a suposições, interpretações erroneas que cavam pequenos buracos de dúvidas. O que nos resta? Confiar no que sentimos, mesmo com sobreposições. O amor não mente. Ah! Como é raro encontrar o amor...

Camila Karina
Todas minhas feras a postos! 
Em posição de defesa e ataque fulminante

Camila Karina

3 de set de 2012

Tic tac
Tic tac
É o relógio da saudade
que acelera e não tem hora certa
Toda hora é hora
quando desperta
Despertador
quando saudade aperta

Camila Karina
Quando uma pessoa se propõe a empurrar duas pessoas para algum buraco, ela esquece que mesmo se as duas pessoas caírem, cairão juntas, e esta pessoa, continuará sua peleja inútil, sozinha.

Camila Karina

1 de set de 2012

Todos os atos, sentidos, precedentes a  lágrimas, nós na garganta de fúria, tristeza e a perda de esperança, serão recompensados por um sonho, que está aquém de nosso desejo. Porque nós ainda não aprendemos a sonhar desprendidos de vaidades e egoísmos, mas a recompensa existe. 

Camila Karina

26 de ago de 2012

Em qualquer ponte e linha vital é traçado um caminho desconhecido que nós, detentores de peculiaridades, observamos nosso próprio movimento. Mas isso não quer dizer que temos consciência de cada ato e palavra. Como todo animal indefeso também queremos algum cuidado e proteção. Nada de exageros, ser indefeso não é ser inútil. Mas qualquer animal ou até mesmo uma célula precisa de atenção.

Camila Karina

25 de ago de 2012

Aquele pensamento que nasce e não conhece o mundo,
cria mofo e contamina os outros como erva daninha
O pensamento precisa ter voz e vida 


Camila Karina

23 de ago de 2012

Quem diz não é aquele que afirma
É aquele que atira mas não domina
Se cala aos quatro cantos
E na hora da verdade, do "cara a cara"
Corre aos prantos

Camila Karina

19 de ago de 2012

É sabido que somos peças espalhadas pelo cotidiano. Cada uma no seu lugar de efeito, direito, defeito. Tudo para manter viva a chama das intenções, atiradas no alvo aleatóriamente (de acordo com cada cabeça e sentença). E quem não tem armas está indefeso? Estamos à procura de amigos ou aliados? A diferença está entre o jogador e o pensamento. Cada passo dado para um, é jogo armado, para o outro, um dia vivenciado. 

Camila Karina

15 de ago de 2012

Aquele que vê o outro distante, aposta no seu próprio conceito. Traça o destino do outro, é um místico, um visionário alheio. Aquele que vê o outro em sua próximidade, disfarça seus lastros de falsidades, seu carater escorregadio. Sorrisos corridos, seguidas de colocações estúpidas e citações nulas. Sua causa e efeito precedem sua postura irrelevante. Oh! Mas que terrível conclusão! Um energumeno também tem seus apreciadores, seguidores, protetores, como todo ser. Portanto, os encontros casuais com este ser inútil deveria ser exatamente como suas "qualidades", mas não, o energumeno faz tanto barulho, que é como uma mosca numa sala branca. Esta ali, mas não condiz com aquele ambiente, apenas precisa existir para equilibrar as energias.( O que não impede de tentar espanta-la).

Camila Karina

6 de ago de 2012

Procurei um poema de amor para dizer o que sinto e nada cabia
Foi só pensar em você
 e naquele momento o poema nascia

Camila Karina


5 de ago de 2012

Discurso é como tatuagem, você carrega para sempre. 
Mesmo se mudar, ainda continuarão as marcas.

Camila Karina


3 de ago de 2012

Aquele de língua afiada acaba por limpar o próprio sangue e a própria sujeira 

Camila Karina

2 de ago de 2012

Os desencontros são apenas preparos para os grandes encontros

Camila Karina
Aposta em palavras torpes
Joga com efemeridades
Apela para o carisma da desordem
Se satisfaz com o tumulto
Eis que nasce um enfadonho

Camila Karina


 


*Para aqueles que subestimam a inteligência dos mais simples

31 de jul de 2012

Todos nós estamos suscetíveis ao exagero. Quem renega esse fardo é digno de risos

Camila Karina

27 de jul de 2012

O equivoco é uma das únicas vias de mão dupla que não leva para nenhum caminho. Vira uma rotatória solitária. 

Camila Karina

24 de jul de 2012

Um sorriso é um risco para espíritos sem luz. Hasteie as cortinas da ignorância para relevar o que não tem importância. Já dizia o velho ditado: não entender também é um dom. E o que não é entendível e desnecessário, se torna um vento esquálido.

Camila Karina

21 de jul de 2012

A cobrança mais agressiva é aquela diante do espelho.
O momento de libertação é aquele quando você decide
seguir um caminho sem muitos planos.

Camila Karina


19 de jul de 2012

Mede-se um ser humano pela suas bem feitorias. É natural, é nossa natureza, esperamos o bem. É sabido, não é segredo,  ninguém esconde defeitos, mas que podem ser esquecidos quando se é amigo com sinceridade, amigo eleito.

Camila Karina

15 de jul de 2012

As coisas nunca são como imaginamos
Na verdade, são melhores.
Nós é que ficamos quase sempre,
reféns dos caprichos de nossas vontades
 

Camila Karina

13 de jul de 2012

Hoje o dia é para declarações. 
Rock´n roll, meu amor, é seu dia.
Nosso amor é para toda vida

Camila Karina

8 de jul de 2012

Diga-me onde está o reino das grandes verdades,
que descubro o paradeiro da sinceridade.
Esta que se perdeu entre poucas palavras

Camila Karina

4 de jul de 2012

A vida sempre nos pergunta o que queremos
Cada obstáculo é como se ela dissesse
- É isso mesmo?
E respondemos sim ou não
Indo em frente ou seguindo uma nova direção

Camila Karina






*Inspirado numa conversa com Renata Marques

1 de jul de 2012

Mais ou menos 20 e pouco + um pouco de 20 = mais de 50 possibilidades de alegria


Camila Karina

25 de jun de 2012

O estômago tem um contato muito intenso com o coração. Ele avisa quando algo de bom ou ruim acontece. No meu estômago pousaram borboletas.



Camila Karina

23 de jun de 2012

Jovens e atentos.  Jovens e sem noção do tempo. Continuamos jovens e agora seguimos pensando no futuro, no presente e no passado. O pensamento é nossa arma, nosso abismo, nossa lei, nossa prisão. Aproveitar a jovialidade para entender a liberdade é nossa missão. Porque se é jovem, esta essência domina o ser. Maturidade nada mais é que complemento. O ponto vital é ser jovem. E isso não tem nada a ver com o corpo. 

Camila Karina

20 de jun de 2012

Todos com sede no deserto das emoções
Caminhando pela vasta areia das incertezas
E com uma gota de chuva do céu, a esperança
É como renascer


Camila Karina

17 de jun de 2012

A sinceridade nos leva para caminhos tortuosos
E aparentemente, estes são os que valem mais a pena

Camila Karina

16 de jun de 2012

Se é justo
é curto
pequeno
espremido 
cabe em qualquer lugar.
Mas não significa que não vai lhe machucar 

Camila Karina

15 de jun de 2012

Todos os atrasos nos levam para algum lugar
Todas as esperas nos guiam para um destino

Camila Karina

14 de jun de 2012

Todas as vezes que aterrizo 
de minhas grandes viagens pela imaginação,
trago comigo grandes experiências
desta maneira tão infinita
que só o ser humano é capaz

Camila Karina

12 de jun de 2012

Aprender a andar é contínuo. Nunca se esta com a postura correta, nunca se pisa corretamente. Quase sempre colocamos o peso numa perna só. É assim que a realidade do que pulsa no meu peito se representa. Quando renasci comecei a reaprender a andar. Vez ou outra caio, tropeço, machuco as pernas, os pés doem, coluna dói, coração dói. Tudo porque aprender a andar é contínuo. E é caminhando que se aprende. 

É assim com um coração partido. (!)


Camila Karina

11 de jun de 2012

Todo o exagero transborda
para longe.
O que tu tinhas"era
pouco e se acabou"
E eu continuei de mãos vazias 


Camila Karina


A ti, Bernardo, infernalmente presente na minha lembrança

A saudade é inferno


Camila Karina

10 de jun de 2012

Mesmo com todas as pedras
que atiras sobre mim
Minha resistência está
no suspiro e na esperança
que não me deixa afundar
no cansaço.
É a bravura instintiva
sem mérito
só pela vida


Camila Karina

8 de jun de 2012

um flash back
um flash back dentro de um flash back
um flash back dentro de um flash back de
um flash back
um flash back dentro do terceiro flash back
a memória cai dentro da memória
pedraflor na água lisa
tudo cansa (flash back)
menos a lembrança da lembrança da lembrança
da lembrança

Paulo Leminski, do livro La Vie en Close

6 de jun de 2012

Já não lembro quantas vezes
disse a mim mesma 
que lembrar de ti 
não tem sentido
Mas no fim das contas
saudade é só o que
acabo sentindo

Camila Karina

4 de jun de 2012

Veja me bem
Olhe me bem
Vejo me bem
Olho me bem
Quem me deseja bem?
Eu me desejo o bem?
Minha alma anuncia
minhas falhas,
Minha alma se pronuncia,
e pede calma


Camila Karina

3 de jun de 2012

Ando muito cheia de violências
A fera que habita em mim 
em alerta constante
Inundada de selvageria
e ideias cortantes
O que digo a mim  mesma?
Sobrevivência.

Camila Karina

2 de jun de 2012

Sentir?
Sinto
Agir?
Sinto
Pensar?
Sinto
Ah, meu corpo e mente
cheio de sintomas de uma
vida irônica

O que me guia
é o que sinto
as vezes desacredito
 e então, lá vem a vida
com sua ironia
provar  que o sentido
não é mito 


Camila Karina

29 de mai de 2012

Para os egos
Para os cegos
Para sí
Para os tantos
É paralelo
quem nega
está blefando
Ninguém escapa
da vaidade do querer




Camila Karina
Julgue o outro
Julgue mesmo
Julgue a si com os mesmos termos 
Quem vai para a prisão?
O real ou seu espelho? 


Camila Karina

28 de mai de 2012

Minha culpa. Sua culpa. Meu amor. Seu amor. Nossa culpa. Nosso amor. Todos punidos, feridos. Esfarelando entre os dedos qualquer sentido de saudade. Lavando as mãos para a realidade. O tatear do rosto, o fechar dos olhos, são como anos que passaram num intervalo, alguns segundos. Ao levantar a cabeça, é possivel observar o caminho, mas não o que virá dele. Não é a vista que necessita de óculos, lentes. É a vida cheia de invocações e nós, os exorcistas de tudo que é póstumo, até mesmo do amor. 

Camila Karina







Inspirado numa conversa com o cúmplice na poesia, Ricardo Amaral

26 de mai de 2012

Desejar o bem. Amar alguém. Não deixar a raiva ir além. Bem feitorias que desejamos também. Sempre intencionados, seja para si ou para outro, mal interpretado, uma confusão, só diálogo de loucos. Coletividade, "vamos viver em sociedade", o que acaba na verdade, é no tumulto. Pois queremos muito. "Feliz é quem vive de pouco". Mas que pouco é esse, se nunca acaba a sede? Se procuramos, nos preocupamos, porque não achamos? Só aparece, só acontece, se esclarece ao bel-prazer. E o desfecho, a conclusão, de uma reflexão é: acertar é ilusão. Um pouco de tolice, humanisse, também ensina uma lição. 

Camila Karina

24 de mai de 2012

Grande mestre que me ensinou 
a colocar os pés no chão. 
Mestre? 
Grande equivoco dizer que
deixar de sonhar é lição de vida
Mais do que ler livros
tenho coração

Camila Karina
Observa ao redor 
de ti mesmo o caos que ronda
para que sejas digno
de acreditar que a raça humana
não é apenas hedionda 

Camila Karina

21 de mai de 2012

Ando bastante para pensar
Penso bastante para ponderar
Sinto bastante sem chegar
a nenhum lugar
O que basta?


Camila Karina

17 de mai de 2012

Teu silêncio me corta como navalha
Tua sinceridade me arde
na ferida da saudade
que ainda não cicatrizou
É tempo que cura? 

Camila Karina

16 de mai de 2012

O que será feito
com estas ausências, enquanto
agrido a garganta
de tanto gritar em silêncio? 

Camila Karina
No fim do dia, no fim das contas, no fim dos tempos é quando tudo começa e nada se repete. Onde tudo se move, reforça e as vezes enfraquece. Precisamos de finais, para escrever mais. No fim da conversa, no fim da leitura, no fim da ternura. Quando os inícios  estremecem, porque no fim, é quando tudo floresce. O fim é temerário, o fim também é alivio, um tanto esperado. Quantas coisas, situações, queremos que cheguem ao fim? Só para terminar, recomeçar, renovar. É fim, é inicio. É um sim para o novo.  Não menos doloroso. Então, se é o fim, é porque algo novo começou. Fim.

Camila Karina 

14 de mai de 2012

Um buraco
cheio de cacos
é como está 
o lugar que
ficou sem teu abraço

Camila Karina

10 de mai de 2012

A dor nos deixa cada vez mais cínicos? Pergunta retórica, pergunta real.  

Camila Karina

9 de mai de 2012

Essa contagem infinita de tempo
no espaço vazio.
E o momento?
A inércia invadiu

Camila Karina

8 de mai de 2012


Nos olhos, no coração, na alma. Várias feras. 
Por medo, por dor, por sede. Várias feridas

Camila Karina

5 de mai de 2012

Tateando o chão, olhando para o céu, no franzir da testa para enxergar melhor, é quando se busca a respiração, a inspiração,o momento, o significado. Esta sede do emblema, a marca memorável, o grandioso, surpreendente. Acolhe tudo num só pensamento e nada disso importa. A vida pode ser mais simples e isso já é grandioso. Tateando o chão, percebi uma flor em meio as pedras. Olhei para o céu e as nuvens eram desenhos. Franzi a testa e o sol me abraçou. 

Camila Karina
A gente se pergunta: "Quais são nossos desejos?"
mas esquecemos de perguntar: "Quais são nossas fúrias?"
Um complementa o outro


Camila Karina

2 de mai de 2012

Dos queros
dos pensos
das forças,
o que é livre
se livra
o que é meu
se destina

Camila Karina

1 de mai de 2012

Me dá um sorriso
direto de esquerda
desse olhar
bem no fundo de mim?


Camila Karina

29 de abr de 2012

‎"De tanto olhar para longe,
não vejo o que passa perto,
meu peito é puro deserto.
Subo monte, desço monte.

Eu ando sozinha
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha"

Cecília Meireles

27 de abr de 2012

São versos, detalhes, olhares, guardados. Mais para o lado esquerdo, é o caminho que se faz justiça dentro de nós. Meu erro é sonhar? Errado. O que segue são notas, laços, lembranças na corrente, logo em frente e atrás de nós, os rastros, fatos, que traçamos e deixamos. É um erro reviver? Errado. Vive-se a consequência, o bem estar, a tranquilidade e agonia. Revive-se, renova-se. A visão é futura, de certa altura que ninguém enxerga, só experimenta na aventura. É errado ficar parado. O tempo é na próxima esquina, mais para o lado esquerdo. Ali onde tudo se encontra.

Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.