31 de jan de 2012

Poupem-me dos conselhos sobre ver o óbvio
Quero percorrer o caminho que me cabe
Se ali ele está, dali ele não sairá
Óbvio!


Camila Karina

Quando forjamos vários finais
para uma mesma história, 
descobrimos que ela já
findou antes da primeira
ideia

Camila Karina

30 de jan de 2012

Diante do outro, o que se tem a oferecer?
Diante de si mesmo, como sobreviver?


Camila Karina

29 de jan de 2012

Atentos ao novo
meus olhos deixaram
que o passado
passasse
deixasse a dor
para dispor
de uma nova 
viagem

Camila Karina

27 de jan de 2012

Não deixe que pese
sobre nós, os causos
percalços dos caminhos
Horas a fio,
as vezes silêncio contínuo
que deixa claro
o que sentimos

Camila Karina



25 de jan de 2012

Palavras vestidas de espinhos também libertam
Levam um pouco de sangue e pele
É como nascer de novo


Camila Karina
O coração
que era meu espelho
se quebrou
O que resta são
reflexos de uma ferida aberta
que nunca fechou


Camila Karina




*Quando o corte é profundo, a pele se reconstitui. Assim é com o coração
Eis aqui um decreto
para um coração partido
com futuro incerto


Camila Karina

Com sua reserva
na primeira fila da distância,
observa o que fora um sonho, 
e agora decreta
que é sem importância

Camila Karina

24 de jan de 2012

Eram várias portas à frente
De cada uma ecoavam vários sons
Um deles me chamou atenção
Quando abri para ver 
Era você
- Amor, pode entrar

Camila Karina
Há quem diga
que a distância
separa duas almas
Há quem desfaça
que estar longe
é apenas uma etapa
Há quem esqueça
da leveza de um romance
Há vários aquéns
Destes, não sou
Apenas de um
Quem? 

Camila Karina


*É sabido, por ti e por mim

23 de jan de 2012

De tudo que foi intenso
nada será abreviado
De tudo que foi dito
nada será revertido
São duas grandes missões
reconhecer e esquecer
De tudo que virá,
metanoia para vida nova


Camila Karina
Metanoia
Metanoia
Preciso pensar mais sobre isso




Camila Karina

21 de jan de 2012

Todos os meus impulsos
pulsam 
gritam
explodem
sem discurso pronto
É por você
Não meço a pulsação
Quem fala aqui 
é o coração


Camila Karina
A busca
será que ofusca
o que está 
destinado
à nossa frente?
Ou será que ficamos 
parados
descrentes?
O que você sente?


Camila Karina

20 de jan de 2012

Somos criadores. Criamos ideias, criamos sonhos, criamos projetos, criamos situações, criamos o imaginável e também o inesperado. Criamos expectativas, criamos o tempo todo. Criamos tempo para cuidar de nossas criações? Ou criamos desculpas para nos desfazermos de grandes preocupações? Somos criadores, sem esquecer que também temos uma outra fábrica dentro de nós: a dos sonhos. Um sonho se cria, cuido dele. Ele cresce, amadurece e se torna real. 

Camila Karina
 Basta de explicações racionais 
que definam nossos destinos
Nos basta sentir e permitir
que nossos sentidos
nos mostrem sinais

Camila Karina

Aqueles sonhos nascidos
jamais são esquecidos
porque você existe


Camila Karina

19 de jan de 2012

Para o que não importa
você bate a porta
e o que apetece 
você esquece
Você também sabe
nunca é tarde
e não há quem cale
o que é verdade

Camila Karina

18 de jan de 2012

A cada atitude pensada
conta-se uma facada
de efeito, direto no peito

Camila Karina
Se concluímos que é loucura,
nossos corações fartos de nossa desventura
nos convidam a embarcar 
na estrada da procura
(por nós mesmos, que nos cura?)


Camila Karina

17 de jan de 2012

O que você está pensando?
-Once - apenas uma vez




Camila Karina

16 de jan de 2012

Guardamos grandes esperas
jogamos a responsabilidade
para o tempo
"Tempo, passe logo!"
"Tempo, passe lento"
"Mais tempo, por favor"
O tempo atende
quando ele bem entende

Camila Karina


O tempo é o maior predador do homem


O tempo é o maior aliado do homem


(depende do humor do próprio tempo)

Camila Karina

Tudo se espera do tempo
e ele, sem pressa, nos
ensina que sua velocidade
é a mesma da nossa ansiedade
Voraz

Camila Karina

Ombro amigo
Abraço abrigo
Nada aqui é perdido
Tanto cabe, tudo serve
quando estou contigo

Camila Karina

15 de jan de 2012

As palavras não tem medo de nada. Não fogem, não relutam. As palavras não se escondem, não se rendem,  não se fecham. As palavras só dependem do som que está em nosso poder. Poder de falar, expressar e anunciar. Mas tudo que as palavras não tem, estamos inundados. 



Camila Karina



Dos sarcasmos e ironias da vida
eis que ela  prega uma peça 
daquelas que a gente custa a acreditar
por se acostumar com a tristeza
É o novo que chega suave
sutileza


Camila Karina


*Força do pensamento espalhado pelos quatro cantos

14 de jan de 2012

 Minha mente e coração
em conflito,
 contradição
A briga é feia
O que terá a maior razão?

Camila Karina 


*Aqui ninguém ganha, nem perde. Se perde

Encha o peito de orgulho por me presentear com silêncio
Encha o peito de orgulho por ignorar minha procura
Encha o peito de orgulho por despejar inimagináveis ofensas 
Encha o peito de orgulho pela distância conveniente  
Respire as consequências de aspirar quando se perde a cabeça 
e não pesa o sentimento
nem sequer um instante


Camila Karina

13 de jan de 2012

Tantas você fez que ela cansou
Porque você, rapaz
Abusou da regra três
Onde menos vale mais

Da primeira vez ela chorou
Mas resolveu ficar
É que os momentos felizes
Tinham deixado raízes no seu penar
Depois perdeu a esperança
Porque o perdão também cansa de perdoar

Tem sempre o dia em que a casa cai
Pois vai curtir seu deserto, vai.
Mas deixe a lâmpada acesa
Se algum dia a tristeza quiser entrar
E uma bebida por perto
Porque você pode estar certo que vai chorar

Vinicius de Moraes

12 de jan de 2012

Dos abraços e beijos que serão eternos
Se encara os ranços e amargores
para que o caminho que era apenas um
se torne diverso

Camila Karina

*É preciso sentir o sal para escolher o doce

11 de jan de 2012

A mão rente sob a testa, como proteção, apoio, reflexão. Os olhos espremidos pela luz, miram na direção que lhe cabe. A visão não é a mais nítida, mas está ali o tal caminho. O futuro tem este mesmo afeito. 


Camila Karina
Por onde andam
aqueles sonhos
que regiam nossos
planos enquanto
estávamos acordados,
 engano?

Camila Karina

10 de jan de 2012

Quando trocamos tesouros entre nós
nossas almas foram afortunadas


Camila Karina

9 de jan de 2012

O que calha
ao cavalheiro
que não valha 
um centelho
que é tido
como falha
não sabe
o que vale
do sentimento
por mais que
lhe fale 

Camila Karina
'Eu tenho uma espécie de dever, de dever de sonhar sempre, pois sendo mais do que uma espectadora de mim mesma, eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso. E assim me construo a ouro e sedas, em salas supostas, invento palco, cenário para viver meu sonho entre luzes brandas e músicas invisíveis'


[Fernando Pessoa]

7 de jan de 2012

Nada que se diga
pode oprimir o sentimento,
que tem voz única
E grita até mesmo
quando estamos calados
O corpo ecoa

Camila Karina
Os espaços se abrem
como clarões de luz
que iluminam os pensamentos
Elucidam, esclarecem
na caminhada
é a esperança que conduz


Camila Karina

6 de jan de 2012

Se eu parar e analisar tudo,
perco um tempo precioso
de sentir

Camila Karina
Existem dias que são feitos simplesmente para agradecer


Camila Karina

5 de jan de 2012

Minhas lágrimas não banham mais este amor. É o sertão que chega. 

Camila Karina

Quando o diálogo
se torna arredio
o que mais se pode
esperar das palavras?
Gotas invisíveis de sentimentos
que se perderam com a intolerância


Camila Karina
Os momentos e horas
que passam longe de ti
Não passam em branco,
se fortalecem em tudo
que posso sentir

Camila Karina

4 de jan de 2012

A palavra tem o poder de reger suas próprias consequências, seus destinos. Nós somos meros instrumentos.
Não dominamos a palavra, ela que nos guia de fora para dentro e vice-versa. 




Camila Karina
Refletindo sobre os meios de comunicação, tive uma percepção do quão isso vai alimentando nosso isolamento e nossa necessidade de apenas ser ouvido, lido, entendido, porém nossa capacidade de ouvir, entender, compreender, está cada vez mais comprometida. Exemplificando, percebo isso nas músicas. Cada vez menos músicas com grandes letras reflexivas fazem sucesso. Creio que é um reflexo da preguiça auditiva. Na qual, as músicas chegam até os ouvidos e, a atitude é simplesmente ouvir sem atenção, nada de sentimento ou emoção. Músicas vazias de conteúdo, profundidade, com batimentos irrelevantes, que não arrepiam, nem nos enchem de lembranças. 

Temo por nos tornarmos essas músicas inertes. 

A percepção que tive hoje, nada mais é que um "acordar", um chamado de atenção de minha própria consciência. A tarefa permanente que me foi dada é: ouvir mais e estar mais no real, fora da tecnologia, ou usa-la à favor da aproximação e ouvir mais músicas que mexam e elevem a inspiração. 

Camila Karina
Se minhas mãos
traduzem o que carrego
para a vida
Meu coração tem a maior voz
profetiza 

Camila Karina
Cada tom
da tua voz
mais perto
dos meus ouvidos
soam canções serenas
Daquelas que ouvimos
por mais de mil vezes
É você dizendo meu nome

Camila Karina

3 de jan de 2012

Tudo que observo
relevo
E quando não
compreendo
espero
A vida sempre
dá a resposta
O destino é sincero

Camila Karina

2 de jan de 2012

Raivas, risos, restos
Risos, raivas, versos
Rezo, rito, reto
Todos unidos
Sentidos, válidos
Incertos
E tudo é novo
de novo


Camila Karina

1 de jan de 2012

O arrependimento é a mais severa das lições.Arrependa-se não para voltar atrás, mas para olhar nos centímetros que  cabem à frente,  e tomar um rumo diferente.

Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.