29 de abr de 2011

A corrente sanguínea é no cérebro? Não creio nisso. Por favor, não me venha com racionalidades para esta bomba de sangue. Meu corpo já segue todas a regras básicas de sobrevivência. Porque delegar neurônios ao coração não trará sentimentos inteligentes. Aliás, eles não precisam. Sensações não tem nível intelectual, nem graduação. Então não cobre pausas pensáveis. Quem manda aqui é o coração.  Ele comanda os impulsos, todos eles. De chorar, de sorrir, de amar, de partir. Que se parte, que se alegra, que dói e acelera. Quem manda aqui é o coração. O cérebro não tem nada a ver com isso. 

"Coraçãopensamor"


Camila Karina

28 de abr de 2011

Uma pérola. Sim, és tu. Quem avisou que era aço e ferro rompeu com as veias do coração. A fragilidade existe, a sensibilidade existe, assim como a força e a resistência. Nenhuma pérola é perfeita. A natureza se encarrega se nos presentear com peculiaridades. Para descobrir tudo isso é preciso sair da ostra ou que alguém lhe tire dela. Em cada colar uma amizade, um laço, uma fraternidade. Por mais que não apreciem as pérolas, elas existem e sempre existirão. Até os porcos tem a escolha de apreciação. 
Jogue as suas ou guarde.
Se as perder não faça alarde
A maré sempre sobe
e traz novas ostras


Camila Karina

27 de abr de 2011

Avistei um pequeno sonho
mas a vida me despertou
do sono leve
Como foi ?
"Cont.."

Camila Karina 

26 de abr de 2011

A tua voz logo cedo
chamando meu nome
Era o pássaro cantando
anunciando o novo dia
E eu só queria
te ouvir cantar

Camila Karina

25 de abr de 2011

Que alívio
ter contigo
um momento
de leveza
de compartilhar
nossas certezas

Camila Karina

24 de abr de 2011

O criador
as criaturas
Sabemos
que não estamos
no mesmo patamar
A missão nos foi dada: Amar
Até chegar lá

Camila Karina



*Feliz Páscoa aos meus cúmplices na poesia 

23 de abr de 2011

Nunca fui boa com pesos e medidas
Quando pesa demais
Só sei porque quero distância
Quando é leve demais
quero abundância
Quando é longo demais
quero um resumo
Quando é curto demais
Encaro a circunstância
Não sei pesar
Nem medir
Com a emoção
Nos cabe sentir

Camila Karina

Quem dera estarmos livres do egoísmo. Fardo este que carregamos por toda vida em grandes, médias e pequenas proporções. Fardo este que nivela nossas mãos estendidas, abraços colhidos, beijos dados e recebidos.
A medição não é um dom que nos foi dado. Há os que por medo de encontrar seu próprio monstro, empurram para o fundo com seus punhos o volume insólito. Os corações nobres que encontrei tem o estranho poder de calar vozes insanas. Tem a admiração. Tem o protesto alheio.
De mim, tem a aprendiz.
Um sábio coração não se cansa de ensinar aos domadores que as feras podem seguir seus caminhos. Fora isso, é puro instinto de sobrevivência.


Camila Karina

*Contribuições involuntárias 
Os olhos tudo vêem
A mente não acredita
O coração compreende
O sexto sentido grita

Camila Karina

21 de abr de 2011

Pressa
pressa
pressa
corre
cansa
perde
Pressa
pressa
pressa
dorme
sonha
alcança
Um sonho vira realidade
quando se acorda


Camila Karina
A inquietude
num vazio

A saudade
neste frio

Um coração
que se abriu


E os espaços deixados
de quem partiu


Camila Karina 

20 de abr de 2011

Deixou metade dos vícios de seus vinte anos
pra trás
Se olhou no espelho e percebeu a mudança
Abriu uma antiga caixa de fotos
Não se reconheceu
Mas percebera a semelhança entre os sorrisos
Era a  ingenuidade ainda guardada
Intacta apesar das vicissitudes 
Guardou tudo
Inclusive seu coração
Mas com a esperança de um novo lampejo
Uma nova percepção


Camila Karina

19 de abr de 2011

Onde estão
aqueles laços dados
feitos à mão?
Foram levados
pelo vento
pelo tempo
pouco se percebe
a precisão

Camila Karina

17 de abr de 2011

De tanto olharem para a luz acabaram cegos. Os que passavam despercebidos pelo clarão foram guiados. 

Camila Karina
O efeito
perfeito
que causa
o impacto
de um defeito
É nada mais
que parte
do seu jeito
Um sujeito
imperfeito
Como todos nós
não tem jeito


Camila Karina
Qual seu melhor defeito?

Camila Karina

13 de abr de 2011

Um sim, um não, uma pequena explicação. Nada disso é suficiente. O que querem são argumentos, dos grandes, infindáveis, até que o entendimento se canse de buscar dúvidas. Desconfiam se é bom demais. Sentenciam: "não pode ser verdade". Acostumaram-se ao duvidoso, ao escuso. Decidiram que o caminho mais difícil é o mais seguro porque a simplicidade não reluz. Propuseram que maiores dores são maiores valores. Esqueceram do ato de sorrir. 
Olhar o céu. 
Apreciar o sol. 
Encantar-se com os sons. 
Se é simples demais passa despercebido.Os olhos foram incentivados a ignorar o passo leve. A chegada silenciosa. 
Presumo que nada é mais simples do que desentender as propostas, as decisões, os argumentos e perceber que além do deserto existe muito mais que areia. O vento também esta presente e nem é visto. Somos partículas. Percebe? 

Camila Karina



Lampejos
Desejos
Ensejos
Num resumo
O que almejo?
Um beijo

Camila Karina

12 de abr de 2011

 A vida tem
dessas peças
Cheias de possibilidades
Cheias de explicações
Cheias de novidades
Cheias de conclusões
Por fim
A gente se enche
E esquece que as vezes
é preciso deixar
que flua naturalmente

Camila Karina

11 de abr de 2011

Bem sei
que nossas ideias
nos dividem
Bem sei que nossos
genios nos agridem
Bem sei que nossas causas
nos coíbem
Bem sei
Você bem sabe
Alheios à nossa vontade
Idem

Camila Karina

Quero um tratado
assinado em branco
Que fique registrado
que não existe preparo
para a emoção
nem para o pranto


Camila Karina

10 de abr de 2011

Onde se guarda a saudade que já foi? Onde se acha o sentido que se fez? Quem sentencia as validades? Se tudo está ao nosso alcance porque não conseguimos tocar, para provar a nós mesmos o quão incrédulos podemos ser, até sentir de fato qualquer emoção além da percepção racional? O que nos falta é fé. Não apenas em Deus, mas fé no próprio sentido, nos cinco sentidos, no sexto sentido. Fé até no que não faz sentido. Mas existe, eu sinto. 

Camila Karina
Em pleno show 
e outros sons
tua voz
é golpe baixo

Camila Karina

9 de abr de 2011

Ao retornar para seu ninho
imaginou a trilha sonora
com solos da voz dele
O sono foi seu ombro amigo 
esta noite


Camila Karina

7 de abr de 2011

Você
Você
Você
Por quê?
Você
Você
Você
Cadê?
Você
Você
Você
 Após
Até
Adeus


Camila Karina

5 de abr de 2011

Nós e os propósitos
por um bem maior
Por vezes uma contradição
O que fere
converge em lição

Camila Karina
Estas capas 
na chuva
de nada servem
Quem as usa
no fundo sabe
"quem sai na chuva, é pra se molhar"
Mas os que vestem a capa
continuam a negar


Camila Karina
Para simplicidade
o que tens?
Para a honestidade
quantos bens?
Levantem-se
erguidos pelo interesse maior
De uma fortuna sem valor
no reino legítimo
do caráter 

Camila Karina


*Aos meus queridos amigos que ainda participam daquela velha rotina..pauta de muitas conversas e indignações

4 de abr de 2011

Uma inércia aqui
Um movimento acolá
Um momento de definir
O outro é de decolar




Camila Karina
É preciso abrir as porteiras
senão o coração fecha
enche de poeira




Camila Karina
Que faremos nós
Animais racionais
Loucos por ser originais
As vezes tão banais
Em valorizar 
o que não
é nada demais
Entre o poder
e a dignidade
No seu ninho
O que vale mais? 


Camila Karina 

2 de abr de 2011

Neutro
Nem eu
Nem tu
A neutralidade
não tem tom
Soa no vazio
Ninguém
Nenhum


Camila Karina
A gente bem sabe
que tudo 
em exagero
acaba com a relevância
Até mesmo a benevolência
quando é demais
se cansa
Porque ninguém é 
de todo bem
nem de todo mal
Equilíbrio 
é o que se busca
Ao menos
um sinal

Camila Karina

1 de abr de 2011

Leia-se
Faça-se
Cumpra-se
Mova-se
Cale-se
Veja-se
Erga-se

Livre-se
Supere-se
Na subida
quando esperam
sua queda
Mantra
-"Quem canta seus males espanta"




Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.