13 de abr de 2011

Um sim, um não, uma pequena explicação. Nada disso é suficiente. O que querem são argumentos, dos grandes, infindáveis, até que o entendimento se canse de buscar dúvidas. Desconfiam se é bom demais. Sentenciam: "não pode ser verdade". Acostumaram-se ao duvidoso, ao escuso. Decidiram que o caminho mais difícil é o mais seguro porque a simplicidade não reluz. Propuseram que maiores dores são maiores valores. Esqueceram do ato de sorrir. 
Olhar o céu. 
Apreciar o sol. 
Encantar-se com os sons. 
Se é simples demais passa despercebido.Os olhos foram incentivados a ignorar o passo leve. A chegada silenciosa. 
Presumo que nada é mais simples do que desentender as propostas, as decisões, os argumentos e perceber que além do deserto existe muito mais que areia. O vento também esta presente e nem é visto. Somos partículas. Percebe? 

Camila Karina



2 comentários:

R.S.S disse...

esse povo gosta de enrolar e quando vê já tá na beira

Elaina Souza disse...

Quão sábias palavras querida escritora! :*
Não me canso de agradecer à Deus por momentos como este e de te agradecer por compartilhá-los conosco. Obrigada. Isso me fez lembrar de hoje, quando demorei algum tempo num abraço que poderia durar a eternidade só para sentir o amor emanava dali. Não precisava ter nome, não precisava de nada, só ser abraço.

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.