23 de abr de 2011

Quem dera estarmos livres do egoísmo. Fardo este que carregamos por toda vida em grandes, médias e pequenas proporções. Fardo este que nivela nossas mãos estendidas, abraços colhidos, beijos dados e recebidos.
A medição não é um dom que nos foi dado. Há os que por medo de encontrar seu próprio monstro, empurram para o fundo com seus punhos o volume insólito. Os corações nobres que encontrei tem o estranho poder de calar vozes insanas. Tem a admiração. Tem o protesto alheio.
De mim, tem a aprendiz.
Um sábio coração não se cansa de ensinar aos domadores que as feras podem seguir seus caminhos. Fora isso, é puro instinto de sobrevivência.


Camila Karina

*Contribuições involuntárias 

1 comentários:

Elton Tavares disse...

Que papo legal, gostei do post. Essa colaboração involuntária parece psicografia (rs).

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.