30 de dez de 2011

Contudo, aquele era um ano feito de amor e passagens,
Acenos e mensagens
Nada era em vão, até mesmo
aquele momento vazio
tinha seu valor
Porque já não era solidão
era revigor

Camila Karina


*Mais um ano que passa, e esta que vos escreve os abraça, queridos leitor@s. Grande 2012 para todos nós, com poesia, música e lições.

29 de dez de 2011

Quando fecho os olhos acabo com
a distância. Quando acordo, sinto o cheiro da saudade

Camila Karina

26 de dez de 2011

E quando já não temos mais argumento
pensamento, ideia racional, deixemos
 que os sons de nossas vozes embalem
nossos corações, que merecem descanso
de tanta espera. 

Camila Karina

25 de dez de 2011

O tempo é como a chuva,
cada gota que passa despercebida
acumula e não nos damos conta
do tanto que é possível juntar
O tempo é como a chuva
que as vezes tão esperada, para sanar
a seca, aliviar o calor, e quando
ultrapassa nossos limites, inunda tudo pela
frente e leva até mesmo o que não queremos
O tempo é como a chuva
que tem seu momento, sua estação
Nosso tempo é como a chuva
altos e baixos, do inverno, primavera e verão

Camila Karina

24 de dez de 2011

 Lar de um carapirá

O natal está em qualquer lugar. Desejo que as energias que envolvem nossas melhores partes,  renovem o que há de positivo dentro de cada um. 


Dedico este post à vocês leit@res, que me acompanham neste paralelo do cotidiano. 


Aqui tem um pouco mais de imagens dos carapirás e suas expressões : galeria

Grande abraço!


Camila Karina

23 de dez de 2011

Quando o silêncio tomou conta do espaço deixado por nós, foi o momento que olhei para frente e ali, tinham partido, partilhado, repartido e despedido pessoas e certezas, lugares e clarezas. As partes não eram responsáveis, mas o destino. Ele, que é duvidado, desacreditado,continua em seu posto, observando, segurando em nossas mãos e mostrando que ele não define, mas guia. Gritam aos cantos, que é uma escolha, mas o destino chega e desmente. Ele não decide, mas aconselha. As partes se definem, se encaixam, e o silêncio tão cheio de mensagens, chega certeiro, companheiro, e assiste nossa caminhada, partindo, chegando, repartindo, partilhando, "*até nunca mais por enquanto". 

Camila Karina


*Alusão ao livro de Giron

21 de dez de 2011

Dia 22 é meu aniversário, e a partir disso, reflito sobre muitas coisas como sempre e sobre tudo que passei, aprendi e etc. Diante disso, faço minha lista de desejos, que casam também com meus desejos para o ano que vem, as vezes dá certo! 

1- Amor para inundar e afogar a dor
2- Sorrisos e bons momentos com os meus
3- lágrimas de aprendizado 
4-Saúde mental e física para tocar os projetos
5- Cumprir pelo menos 3 dos mil projetos que tenho em mente
6- Minha câmera nova e a lente ***
7- Uma viagem inesquecivelmente linda
8- Chuva em dias de quentura extrema
9-Paciência em certos momentos, não sempre
10- Que eu realize pelo menos 3 dos desejos desta lista, ou pelo menos 1 e que seja valioso


Camila Karina

20 de dez de 2011



Meu vale de lágrimas
transborda
e leva em sua correnteza
o sal que corrói 
para trazer a leveza

Camila Karina
Dor que vai
Dor que ia
Doía
Doeu
Minha dor
Dor e eu
Adeus
Na chegada
Na partida
Duas partes
Duas vidas
Quem chega?


Camila Karina

19 de dez de 2011

O que ultrapassa pelos dedos não são apenas partículas, são fatos. Palpáveis, tocáveis e visíveis, mesmo que por vezes de olhos fechados. As sensações são diversas, que surpreendem e chocam. O que ultrapassa pelos  dedos,são águas limpas e turvas, que colorem a palma da mão e leem as linhas da vida. O que ultrapassa pelos dedos, não fica, não finca, não cria laços, voa, como o pó da terra que seguramos em punho. Mania estranha essa de ultrapassar, passar por cima. Só não ultrapassa pelos dedos, o que agarramos com verdade, a não ser que seja luz ou o vento, estes não ultrapassam, fortalecem. O resto, é ultrapassado. 


Camila Karina



O juramento é a força da resistência
e a palavra, o alicerce

Camila Karina

18 de dez de 2011

Minha tolerância se lapida a cada dia, porém não possuo o dom do corte linear, daquele acabamento liso e uniforme. O trajeto da minha energia ultrapassa campos cinzas e neutros, mas certos momentos, estagna. Digo um "olá" para o desestimulo, até que ele se retire. Por enquanto, guardo um pouco de força para pensar. O agir fica por conta do humor,  mas que também entra em combustão. 


Camila Karina
Engam-se
os tolos
que levantam
seus punhos
para a diplomacia
Cumprimentando-a
e lançando seus ranços
para a maioria

Camila Karina

16 de dez de 2011

O meu cansaço
deste querer
que aperta
o peito
e não dispensa
a pergunta certeira
- Quando vamos nos ter?


Camila Karina

15 de dez de 2011

Quais perguntas ainda cabem sobre as evidências?


Camila Karina

13 de dez de 2011

Aquilo que nos remete a infância, o balanço, quando adultos, vira reflexão, é avaliação. Fixou-se no meu pensamento tal palavra, balanço, por refletir e avaliar dentro e fora de mim. Dentro: atos, ideias, e o que foi dito e o que não foi dito. Fora: o que absorvo, o que me repele, o que julgo indevidamente.Meu próprio balanço. O que me leva de um extremo ao outro, frente e trás, trás e frente, com o vento passando pelo corpo, como se as partículas acumuladas fossem esvaindo-se pouco a pouco. Balanço para desviar,balanço para alcançar. Impulsionar para ir mais alto e rápido, ir e vir, no balanço. 

Camila Karina
Dias de música e saudade


Camila Karina

12 de dez de 2011

Nas observâncias é que absorvemos as energias e estas, são traduzidas nos atos. 
Ato
Arte
Tradução


Camila Karina

10 de dez de 2011

Noite e música afora
Meu coração vibra
sem ter hora


Camila Karina






*Bernardo, te amo. Esses dias de música só me lembram de você. 

8 de dez de 2011

Chega sem aviso
Aquela decisão
Que abre caminhos
Ou termina a missão


Camila Karina

6 de dez de 2011

Me prendo
e me liberto
do que julgo certo
Me enfraqueço e fortaleço
Força e vida
Um mérito


Camila Karina





Nos altos e baixos
dessa correria
Minha mente 
se ocupa de
ideias, imagens
pessoas e energias
Mas meu coração
tem um lugar cativo
que é só teu


Camila Karina

5 de dez de 2011

Te encontrei
perdido
aqui
no meu pensamento
comigo
Te olhei
fixo
aqui
no meu pensamento
destino
Te vejo
por aí
a qualquer momento
pressinto

Camila Karina


*Pressa e sentimento, claro que resulta em pressentimento. Sentir antes que aconteça (?) é um dom ou uma ilusão. Não é pergunta, é afirmação.
Para onde corro
me movo conforme
o vento
Ali me canso,
descanso 
retomo o caminho
e te encontro na corrida.
Porque na caminhada
os passos se cruzam
mas não se encaixam


Camila Karina

4 de dez de 2011

Sinto-me
Ouço-me
Reflito-me
Diante do espelho
Falo-me
Sobre o que sou
o que sinto
Mudo-me
de um extremo ao outro
Busco-me
Levanto-me
Ali e aqui
Vou-me

Camila Karina

O esperado
que não chega
O inesperado
que faz tremer
Qual escolher?


Camila Karina

3 de dez de 2011

Para quem tiver curiosidade e paciência de olhar, aqui está 
o  flickr com meu trabalho fotográfico: 


Para onde segue este cardume? 
Os olhos também tem seu destino

Camila Karina

2 de dez de 2011

Sentir
sem ter
Sem ti
Sente
Sinto
Ter! 
Sem! 
Sentido
Se ter
Foi tido
Foi-se

Camila Karina 

Luto
por mim
Luto
por ti
Luto
por nós
Lutei
Chorei
Agora, luto
Fim

Camila Karina
Das palavras
que desaguam 
gélidas
no coração
quente,
congela

Camila Karina

1 de dez de 2011

O mínimo as vezes é o bastante
para uma explosão
De ideias
De sentimento
De ressentimentos
No mínimo
um sangue quente

Camila Karina

28 de nov de 2011

Intervenho no meu próprio pensamento para
entender como você veio aparecer? 

Camila Karina


Uma ideia quadrada tem dois rumos. Aquela que se limita aos quatro pontos e aquela que transforma o óbvio em surpresa. Já ouviu falar da "bola quadrada?"


Camila Karina




*É claro que este pensamento é alusivo ao Chaves, com muito saudosismo

27 de nov de 2011

Alguns passos na escuridão
que despertam a visão
para o novo caminho
Aquele que perdemos de vista
mas sempre achamos a pista 

Camila Karina 










*É fácil se acostumar com o que ilumina

26 de nov de 2011

A dor, de fato, se cura com amor. Não só o amor que buscamos no romance, mas por tudo que nos desperta daquela inércia que vez ou outra, navegamos. Apaixonada por novas ideias, acordei. 

Camila Karina
Artista amapaense!

25 de nov de 2011

Os sonhos
que escapam
dispersam no vento
até chegarem ao seu ponto,
seu momento

Camila Karina



*Sonhos são como pássaros, tem sua estação e ninho certos, mas antes de chegar até eles, voam..voam..voam..
O coração vazio
não traduz apenas
solidão
Mostra um lugar
com muito espaço
para ocupar 


Camila Karina

23 de nov de 2011

O bem, o mal. Dois pontos. Dois termos. Dois feitos. Duas faces. Um dividendo racional, emocional, pessoal de cada ser que passa por nós. De cada situação que vivenciamos à sós. O bem, o mal. Dois atos. Um só defeito? Se tudo é dividido em dois, porque só o mal se classifica como no pior conceito? A bondade é só qualidade? Fazer o bem, sempre nos convém, são preceitos da boa vivencia, convivência. Também fazemos o mal, nem percebemos qual. Sem intenção, resultado: confusão. Não vejo divisória, entre bem e mal. Tudo faz parte do nosso instinto animal. Sobrevivência e conveniência. Cabe a nossa consciência. 

Camila Karina 

22 de nov de 2011

Avante
Adiante
o que leva
mais do que o instante? 
O futuro
que parece demorar
mas chega 
como avalanche


Camila Karina
Quando o medo
abre espaço
 surge no momento
 teus braços


Camila Karina

21 de nov de 2011

Brotam as ideias e os fatos. Colhemos tudo que plantamos. 

Camila Karina 
A vida que parece inerte por variáveis momentos, nos proporciona o resgate. A ajuda voluntária de algo, alguém. Resgatamos coisas, pessoas e lembranças para nosso próprio bem, para o bem alheio. Somos heróis do resgate do outro e de nós mesmos. Não basta apenas ser salvo, mas é preciso ser resgatado. Trazido de volta para o próprio lugar, que, sem perceber saímos do trilho como experimento, sobrevivência e por fim, o resgate. Só do que importa. 

Camila Karina

19 de nov de 2011

Farta de conveniências em todos os sentidos.
As conveniências são enfadonhas
buscas vazias e superficiais
Por isso recolho-me
e observo com todos 
os olhos que os sentidos me permitem




Camila Karina 

18 de nov de 2011

Procura-se com urgência
uma explicação lógica
para esta saudade que sinto


Camila Karina




*Se alguém encontra-la, contactar meu coração


Nada evolui completamente, mas o que há de vir sempre surpreenderá. Basta observar. O nascimento, o novo, o medo e a esperança. 


Camila Karina
Damos ao erro vários nomes, até um nome composto, para que ele seja lembrado de várias formas. Ato falho. Um fato. Ação que paralisa e encoraja. Tudo o que lutamos contra. Tudo que aprendemos sem forma feita. Erro. Um grande problema. Uma grande solução. Contraditório como nós. Útil e vital para compor nosso ato. Ato falho que não se esconde. O erro é a ação humana que não tem máscaras. 


Camila Karina
Peguei um momento para limpar aquelas velhas pendências que ficaram guardadas nas gavetas da memória. Sujeira antiga, que sempre deixa marcas, mas que com esforço
tudo fica mais limpo.

Camila Karina

17 de nov de 2011



No tumulto
das ideias rasteiras
meu melhor amigo
é o silêncio

Camila Karina
Desperta diante da fala mansa
para o tom amaciado pela conveniência
para gentileza velada pela arrogância
Para que a convivência 
seja precedida pelo
 minimo de tolerância 


Camila Karina
Em cada boa notícia
apesar da distância
compartilho contigo
em pensamento
a alegria
a satisfação
de cada momento

Camila Karina

16 de nov de 2011

Desenho criado durante horas de espera..observando e renascendo ou vice-versa 

Camila Karina
Leia as entrelinhas
do que parece ser
claro para que seu
entendimento não entre pelo ralo




Camila Karina




*Os detalhes são o que realmente importam

15 de nov de 2011

Há dias tão brandos
que tua lembrança
vela meu sono
Mas quando
a saudade vira sufoco
Peço socorro! 
Só um pouco de presença
para acalmar meu coração


Camila Karina

14 de nov de 2011

Pisar em ovos é se dispor à sujeira em qualquer estágio e momento
Prefiro pisar em pedras, que, mesmo com aparente inércia
mudam de lugar sem que percebamos

Camila Karina

13 de nov de 2011

O silêncio é uma forma de ficar invisível. 
O pressentimento é a previsão do futuro.
A adivinhação é a leitura de pensamento.


  
Os dons que desejamos estão em toda a parte.


Camila Karina
Olha para dentro de ti,
reconhece teu erro
mas não o torne para si
um pesadelo
Reflete, encara, enfim
O defeito nada mais é
que uma parte 
do enredo


Camila Karina

12 de nov de 2011

Lembrou do papel, da raiva e das sensações. Sem pensar em motivos elucidadores. Lembrou como se fosse hoje. Tinha pretensão de que os "personagens" da lembrança também sentiriam o mesmo. Sim, as pessoas tinham se tornado personagens. Não sentiu culpa por sentir raiva, pois entendeu que lembrar com tanta veracidade, era uma forma de extinguir más energias. Lembrar também era exorcizar. Lembrar do que era paralelamente ligado ao sofrimento é uma forma de encontrar a paz, que abre espaço para novas lembranças valorosas. Mas o lugar que as lembranças se guardam, empoeira e como todo lugar com grande visitações, também precisa de limpeza. Sentir raiva é também se libertar e esquecer. 




Camila Karina
A lembrança também nos proporciona sensações que não cultivaria conscientemente. Não contesto por saber que certos sentimentos são vitais. Sentira raiva, então. Raiva por lembrar não só do que trazia serenidade mas o obsoleto. Por minar durante alguns minutos, o ressentimento e o orgulho. Lembrara de um pequeno pedaço de papel aleatoriamente, que trazia sábias palavras sobre a raiva. "Não sintas raiva (..) faz mal para o fígado". Era um dos trechos. A lembrança era de que, o trecho fazia sentido naquele momento, mas ao lembrar, não tinha surtido efeito algum, muito menos culpa, pois achara que a raiva também era um momento importante. 

Camila Karina
Lembrar é uma forma de trazer à tona tudo que já foi. Lembrar é nossa máquina do tempo. Nossa invenção particular, dada como um dom e as vezes, nossa prisão. A força da lembrança estremece, também faz com que nosso corpo reaja. Nos dá sensações ou pelo menos a lembrança delas com veracidade. Lembranças são diárias e impertinentes. Abrem uma válvula  de sensações, que somente nós podemos descrever.

Camila Karina


11 de nov de 2011

Nostalgia, emoção, satisfação, tudo no mesmo dia
Pearl Jam em Curitiba, 9/11/2011
Uma divergência de princípios também define destinos 




Camila Karina

10 de nov de 2011

Por todos os lugares
que meus olhos
podem se alegram
Trago um pouco de ti
para cada momento
Estávamos juntos, ali,
Só no pensamento


Camila Karina
Sair do lugar além do espaço, é proporcionar a si mesmo mais do que uma oportunidade, é preparar a alma para grandes mudanças


Camila Karina
Passam os
dias com os olhos
vidrados naquilo
que é novo
E o coração batendo
com a mensagem que os 
olhos guiam
Num pensamento
que contempla a vida
pelos desafios


Camila Karina

8 de nov de 2011

E ao olhar do alto
percebera que todos
inclusive a si mesma
eram vagalumes,
procurando abrigo
em seus pequenos esconderijos
todos iluminados
procurando um lar
Pequenos seres
vagalumes
humanos
com suas próprias luzes


Camila Karina

7 de nov de 2011

Um grande amor
Um coração partido
Permanece o que faz
sentido
A dor e alegria
do que senti




Camila Karina

6 de nov de 2011

Estamos nesta nova realidade
e cada um não está presente
A vida aponta um caminho
que será nossa arte
e cada um fará parte




Camila Karina
Nem a mágoa mais profunda
poderá destruir a inebriante
magia do que vivemos


Camila Karina
Meus escudos
pesam sob meus ombros
mas na caminhada, vejo
de longe um horizonte
que cheira à flores
É o sinal que me guia

Camila Karina 


*O sinal se chama esperança
Quando lembro de ti
meu coração sorri


Camila Karina









Se aqui jaz este amor
Dele semearemos
novas possibilidades
Que nossas lágrimas
regarão


Camila Karina

5 de nov de 2011

Essa arritmia
é que me impulsiona
para algum lugar
que desconheço
Mas sei que o lugar 
que estou parada
é onde não pertenço

Camila Karina


*O coração tem lugar certo
Quando a solidão
se faz tão presente
tua voz e uma conversa contigo
me faz companhia
O tempo passa rápido
que a gente nem sente


Camila Karina

4 de nov de 2011

Se o coração
diz verdades
que o pensamento
não escuta
Como saber
quem seguir
se mente e coração
não estão em luta?
Os dois querem o mesmo
Sem disputa

Camila Karina

3 de nov de 2011

Aceito
o golpe do 
destino
Um tropeço
repentino
O que mais
vou merecer?




Olhei para o chão
e nada vi,
Olhei para o alto
e descobri,
Que a vida empurra
Onde você se segura? 


A gente balança,
a gente se cansa,
com esse empurrão,
Quem me segura ? 
 A esperança




Camila Karina

2 de nov de 2011

Quem poderá
nos salvar
desta saudade
que sentimos
pela metade
e nos mata por inteiro?


Camila Karina
Tomo o silêncio
e paz como 
forma de zelo
Para que meu coração
não se apresse
não entre em desespero




Camila Karina

1 de nov de 2011

-Esquece o passado
-Fique com a lembrança
Passado e a lembrança são dois lugares distintos?

Camila Karina

Quantas voltas
o mundo pode dar
para ele contar
aquela verdade
escondida 
diante dos nossos 
olhos? 


Camila Karina

31 de out de 2011

O tempo entregará
a resposta que esperamos
como um presente fora de hora
Tic tac
Que horas são?

Camila Karina


*O relógio do tempo não tem números, nem ponteiros.

29 de out de 2011

A despedida
Uma conversa concedida
Mais uma briga sem medida
Não se encontra a paz perdida
Neste ciclo que vicia
Do desapego da lembrança
Uma luta todo dia

Camila Karina

28 de out de 2011

Meu pensamento grita
Minha mente explode
Minha boca cala
Pela paz da minha própria alma


Camila Karina




*O silêncio é uma simples e perfeita resposta para muitos casos

25 de out de 2011

Quando corro
penso que estou indo
rápido demais
Quando paro
penso que estou 
deixando mil coisas
 pra trás
O relógio continua contando
Meu coração continua pulsando
Dizem que quem espera ganha
Mas quando? 

Camila Karina


*A ansiedade é o que nos dá arritmia 

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.