29 de jul de 2011

-Melhor se controlar
- Melhor não se entregar
- Cuidado ao se encontrar
São tantos comandos
que entraremos em curto
E este será o momento
de se libertar
Parar de mecanizar 
Para ser mais precisa: DesprogrAMAR


Camila Karina




Inspirado no desenho de R.S.S aqui
Passeio pelo vento
e nada sinto sob meus pés
Percebo a longitude do
caminho e em seguida
meu cansaço
Mesmo assim
Irei
Longe estarei
Chegarei
Todos estes verbos
no presente/futuro
Que ainda não sei

Camila Karina

27 de jul de 2011

Quem disse que fazer a coisa certa não dói ?

Camila Karina


Qual seria a hora certa no relógio do coração?
Tic Tac
- É a bateria?
Tic Tac
- Horário de acordo com o destino?
Tic Tac
- Perdi a hora
Cadê você?

Camila Karina
Desconheço a confusão
de um coração perdido
num vão de agrados
Todas as vezes
despreparado
para o que há de vir



Camila Karina


26 de jul de 2011

 Sedentos por sábios conselhos, sábias curas
 Divagamos
 por vezes perdidos
Quem somos nós
 diante da sabedoria do tempo?

Camila Karina
Ouço uma canção
Ouço várias delas
Quero te mostrar
compartilhar
Nesta distância
só em notas
que todas as canções
são nossas 

Camila Karina

25 de jul de 2011

Amor
Trabalho
Família
Futuro
Sei lá!

Amor
Trabalho
Família
Futuro
Você

- É hora de parar de pensar e começar a viver



Camila Karina

*Um poema que não é só meu

24 de jul de 2011

No meio do caos
das palavras
Descobri 
um novo amor: o silêncio
Companheiro,
Conselheiro,
Certeiro 

Camila Karina
Não há lei mais justa
que a lei do amor


Camila Karina

22 de jul de 2011

O que os céus querem me dizer
com toda essa imensidão?
Fará chuva ou sol
imprevisivelmente
mas sempre
com possibilidades
que os olhos não alcançam


Camila Karina

21 de jul de 2011

Muitas inspirações
digressões
para retratar
apenas um momento
um sentimento
só não sei se
com emoção
ou com pesar
que descrevo
tua ausência
e sem mais lutar

Camila Karina

Na próxima esquina (de qualquer lugar)
o discurso do companheirismo se vendeu
em troca de pequenos prazeres
Repliquei o contrário, mas o cansaço me rendeu


Camila Karina
Ali está
você                                                                                
                                                                                          longe....






e agora, aqui estou




observando cada movimento                                                     de longe...


e você não tem essa percepção


e nem vai ter


estaremos próximos, mas esse meu querer
continuará




                                                                                                  de longe....
e ninguém vai perceber






Camila Karina

A fadiga tomou conta
da água que rego
frequentemente
várias sementes
Carreguei com muito
esmero cada pequeno grão
Mas pela fadiga
pela isenção
Estão caindo
pouco a pouco
num vão


Camila Karina

20 de jul de 2011

Frieza?
Só se for
de um belo
sorvete!
Sim, por favor
Sorveteria!
Alegria! 

Camila Karina
Traga um chocolate
e receberás um sorriso
doce ou meio amargo
crocante de risadas
que derrete no coração

Camila Karina

19 de jul de 2011

Se me trouxessem algodão doce?
Resumindo: simplicidade, beleza
e diversão
Aceitaria de bom grado
 por mais breve
que fosse

Camila Karina





Meu monstro acorda e dorme todos os dias, por vezes tem grandes insonias e passo dias à fio para faze-lo dormir, para entende-lo. - Do que você precisa monstro? , questiono. Quando ele confessa, sei exatamente o que não fazer. Aliás, meu monstro não só tem insonia, como também é bom conselheiro. Por trás da fera também tem um guerreiro. Já pensei em me livrar do monstro, mas como? Quando ele despertou da última vez, estava aflito e não conseguia se fazer entender. Me inquietou. Ele acordou com um propósito e revelou: - Não vim apenas para assustar e sim para proteger. Agradeci. A inquietação se foi. O monstro adormeceu e não preciso mais me livrar dele. O monstro também protege, também é anjo quando bem ouvido. Cuidarei melhor dele. 

Camila Karina
Saudade também dá forças para sonhar

Camila Karina

18 de jul de 2011

EscrivinhAR
FotografAR
MusicAR

ObservAR






Minhas formas
amAR



Camila Karina
Não faças do outro teu espelho, para que a peculiar essência de cada ser humano seja sentida da maneira mais verdadeira possível. Válida experiência. Não faça do outro teu espelho. Tenhas teu copo d'água para dividir com o próximo e observar sua própria retina. Para que olhos? Para observar melhor, dentro e fora. Dos olhos também nascerão bons frutos. 

Camila Karina

*Fruto de uma conversa com a escritora com blog Secando no Varal
Hoje acordei
totalmente envolvida
pela singela lembrança
daquele sorriso de criança

Camila Karina

*Não me canso de repetir: Crianças são mágicas
Meu escudo agora é a paz
que leva para trás o velho 
sentimento tenaz
que não merece citação
Mas você bem sabe,
é uma anulação
Meu escudo agora é a paz

Camila Karina

Essa troca de paz
A poesia que traz
Que enche meu coração 
de candura
Sou mais que sortuda
Tenho amigos
de alma pura


Camila Karina 


*Esse poema é dedicado à todos meus amig@s, especialmente pra Rafa e Limon

17 de jul de 2011

A farinha do jôio não tem serventia e nem a ofereceria, como já trouxeram feito de "bolinhos" de gentileza. É veneno. Dispenso. Sirva água, que mantém a neutralidade.

Camila Karina
Uma semente de mostarda será cultivada para poucos (amor,amizade e lealdade)

Camila Karina
A verdade também gosta de liberdade, não adianta prender que ela sempre vai onde quer e tem que chegar

Camila Karina

16 de jul de 2011

As ilusões nunca morrem, simplesmente dão lugar a outras. Se renovam. 

Camila Karina
Ah imaginário
que suporta tantas dores e
desamores
e se mantém vivo
E ainda reaviva o que
pensávamos que já tinha morrido
Vivo feliz
por imaginar
Com fé
pode se realizar


Camila Karina

15 de jul de 2011

Caros cúmplices na poesia, depois de muita enrolação e preguiça, fiz minha galeria de imagens, já que poesia não se expressa só com palavras mas com um cenário do olhar. Eis aqui o meu 

14 de jul de 2011

Que teu sono tenha ternura
Que teu dia tenha frescor da primavera
Que tua noite te aproxime das estrelas
E se as lágrimas chegarem 
que sejam gotas de alegria
pelo amor que existe e se espalha
como a chuva que viaja 
por todos os lugares
e não pára


Camila Karina

13 de jul de 2011

Pela sinceridade 
Se paga um preço muito alto
Eu pago
e não faço economia


Camila Karina

11 de jul de 2011

Observa o outro
e a ti
Observa o outro
e a lida com o outro
e a ti
Observa a lidacomoutro
E o que gera na crise
Observa
E saberás o que te espera
Observa
Estarás pronto
Observa
Neste laço não há guerra
É imã
Irmandade


Camila Karina
Olha para ti mesmo
Percebe o que não é simples
Livra-te do peso
Tão enfadonho
Sorri para a vida
e agradece cada gota de luz
O tesouro de cada dia
A chama que conduz


Camila Karina
Admiro-te 
por não concordar comigo
Por teu coração nobre
Encanta-me
Teu olhar futuro e destemido
Que presencia tantas alegrias e tristezas
sem deixar-se cair
Não há outra palavra para ti
senão, herói
vis-à-vis com a simplicidade

Camila Karina 
Deste à mim a chave de um novo mundo
Enquanto sentíamos o vento em nossos rostos
Naquele passeio registrado pela noite
Observado silenciosamente pelas estrelas.


Camila Karina
O orgulho é a consciência (certa ou errada) do nosso próprio mérito, a vaidade, a consciência (certa ou errada) da evidência do nosso próprio mérito para os outros. Um homem pode ser orgulhoso sem ser vaidoso, pode ser ambas as coisas, vaidoso e orgulhoso, pode ser — pois tal é a natureza humana — vaidoso sem ser orgulhoso. É difícil à primeira vista compreender como podemos ter consciência da evidência do nosso mérito para os outros, sem a consciência do nosso próprio mérito. Se a natureza humana fosse racional, não haveria explicação alguma. Contudo, o homem vive a princípio uma vida exterior, e mais tarde uma interior; a noção de efeito precede, na evolução da mente, a noção de causa interior desse mesmo efeito. O homem prefere ser exaltado por aquilo que não é, a ser tido em menor conta por aquilo que é. É a vaidade em acção.

Fernando Pessoa, o visionário 

10 de jul de 2011

Perdeu-se nas brumas do descontentamento e apenas seu verdadeiro amor podia abrir seus olhos.
Enquanto isso, suas visões eram cada vez mais claras para o que não cultivaria


Camila Karina
Se anda tudo banalizado
Fico atenta e não me deixo levar
Não banalizo
- Eu te amo
- Sinto saudade
Abraço dado
Sinceridade


Camila Karina



9 de jul de 2011






Sinto raiva
em seguida,
te amo de novo

Camila Karina

8 de jul de 2011

Juntando as mãos em movimentos de união
que fornecem calor
que espalham energias
e simbolizam um momento 
com nosso universo
com nosso próprio mundo
Fechando os olhos
Silêncio por favor, estou conversando com Deus

Camila Karina

6 de jul de 2011

Ali um amor adormecia
provara da velha maçã envenenada
que contamina muitos sentimentos
Como ele acordaria novamente
se tornou um mistério
Quem sabe com um antigo encontro? 
Quem sabe  com um novo encanto?

Camila Karina
Andando pelas pomar dos corações é possível observar todas as novas safras. Corações maduros, os verdes, os ainda quase imperceptíveis. Também noto minha fome. Uma fome que não sacia com uma escolha aleatória. Uma fome que não atinge só à mim. A colheita não é um simples colher e guardar para si. Não nos basta apenas a fome e a escolha. Um coração estava ali.

Aquele coração que nem foi notado, nem desejado, nem esperado, apareceu de surpresa. Saciou a fome de ambos e encontrou seu lugar de direito. Alimentou e continua se renovando porque esta fome nunca acaba e os corações nunca deixam de nascer. Agora eram um só e acompanhavam as chegadas de todas as estações. 

Camila Karina

5 de jul de 2011

As experiências as vezes trazem clarezas que não queremos
Mas se a liberdade é um direito
Que os esclarecimentos cumpram suas missões
Nem que seja vez ou outra
Para doer nos corações

Camila Karina

4 de jul de 2011

O tempo leva e traz saudades e lembranças
Para onde vou neste embalo?

Camila Karina

3 de jul de 2011

Aquela frase
com três letras
não falada
censurada
grita no silêncio
do nosso coração
Não precisamos dizer
com tanta precisão 
Palavras as vezes não cabem
Nos basta a sensação


Camila Karina

2 de jul de 2011

Passagens
Pessoas
Momentos
Imagens
Reações
Sentimentos
Seguindo o ritmo
do tempo
Encontro
Perco
Agarro
A esperança
a contento


Camila Karina

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.