17 de jan de 2010

Na selva do desconhecido você é apenas mais um amontoado de plantas rasteiras
As ebulições e temperaturas espalham-se pelo corpo
E cada pensamento aniquila como pedras presas aos pés
Os passos estão lentos
O céu está cinzento, prenuncio de chuvas
Tempestades? Ou banhos para limpar as sujeiras das ruas?
Onde estão guardados os olhares?
Talvez atrás das portas de prédios e casas desconhecidas
Com uma chave apenas
Tente a sorte


Camila Karina

0 comentários:

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.