4 de ago de 2010

Os vazios que ecoam
Sem o som da tua voz
Doem nos ouvidos
Um silêncio nocivo
Que me abarca 
Sem  te ouvir
Neste vão
Que me faça impedir
A chegada 
Da solidão

Camila Karina

4 comentários:

Mensagem Efêmera disse...

É, às vezes o silêncio é a pior das torturas :/

Ramon Oliveira... disse...

senhorita Camila deve ser muito interessante oscilar ou vaguear pelos dois hemisférios que sua cidade "zerifica". Faz a gente mesmo ser um produto disto, um marco zero, uma espécie de revolução destruidora.
te digo que um dia terei o prazer de pessolmente atravessar esse marco zero, mas por enquanto fico aqui nos meus imaginários.

obs: tive o "atrevimento" de ir espiar pela janela que deixates aberta, e ver um pouco do que vc vê. A fotografia é uma coisa intrigante pra mim: não deixa de ser o apregoamento da alma das coisas e a nova pespectiva da mímesis aristotélica. Obrigado pela sensação causada pelo seu vislubramento.
Em destaque a avalanche de nuvens, impressionante!
mas todas são exelentes e retorno a vê-las com toda a certeza

empatia e até mais ver

Genny LiMo disse...

;)

Lúcio Zion disse...

Como diria Caio Fernando Abreu, sempre me assusto com o silêncio no silêncio. Por isso sempre grito. ahuahuah Te amo Baby

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.