18 de ago de 2010

Todos os dias
Fazia a mesma rota
Certo dia
Perdi o caminho de volta 
 para meu antigo eu
Erroneamente pensei 
que mais nada era meu
Ingenuidade achar
Que estava perdida
Quando na verdade 
Estamos sempre
Em ponto de partida

Camila Karina

3 comentários:

Mensagem Efêmera disse...

Verdade, Camila! Para se chegar ao fim, existem vários meios :D

Webb disse...

Um ponto no papel em branco não é um começo apenas, mas o fim, um ponto é, nesse caso, a ponta do que um dia foi o lápis. A gota,mesmo ela, é também o fim do que um dia foi a tinta, antes da esfera na cabeça da caneta.

Parabéns pela poesia!

Rafinha disse...

Identificação total!

Pensaram por aqui

 

Copyright 2010 Paralelos do Cotidiano.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.